Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

14:45 Helena Dias 6 Comments

Olá, seus lindos!!

Eu fui convidada pela Paula, do blog Não Leia, para participar do Book Tour do livro Pequenas Grandes Mentiras, que foi cedido pela Editora Intrínseca. Gostaria de agradecer pelo convite e pela confiança.
Antes de começarem a ler o que eu achei do livro, gostaria de dar um aviso: NÃO LEIAM A SINOPSE. Tanto no skoob quanto nas livrarias online e em alguns blogs, a sinopse contém um spoiler que eu considero bem importante dentro da trama. Entretanto, eu tirei esse pequeno spoiler da sinopse que vos apresento abaixo. Podem ler tranquilamente. Hehe...

Livro: Pequenas Grandes Mentiras
Autora: Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Ano: 2015
ISBN: 9788580576795

Sinopse: Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada.Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.
Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade.
Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida.
Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.
Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

[Nota Pessoal]
Esse é o primeiro livro da autora que eu tenho o prazer de ler e, devo dizer que me surpreendeu bastante. A capa do mesmo não é muito do meu agrado e acho que isso deve ter influenciado um pouco o que eu pensei sobre o livro. É, eu sei, nunca julgue um livro pela capa e blá blá blá.. Rsrs

Liane nos apresenta uma história através do ponto de vista de três protagonistas. Madeline, Celeste e Jane são pessoas que possuem personalidades, realidades, classes sociais e experiências completamente diferentes. Apesar dessas diferenças, as três se tornam confidentes e mal sabem que possuem um pequeno detalhe em comum: pequenas mentiras sobre suas vidas que ajudam a manter a imagem de mulheres que cada uma estabeleceu para si.

"Tudo em volta dela era colorido: de cores fortes e vibrantes. Ela era a única coisa sem cor na casa inteira."

Madeline tem uma personalidade forte e decidida; gosta de defender suas amigas com unhas e dentes. Em seu segundo casamento, Maddie tem que lidar com a sua rebelde e ingrata filha de 14 anos, Abigail, fruto de seu casamento com Nathan, que abandonou as duas quando a filha tinha apenas 7 meses de vida. Dez anos depois, ele se muda para o mesmo bairro de sua ex-esposa, casado com Bonnie, uma hippie naturalista com quem teve Skye, que para o desespero de Madeline, vai estudar na mesma escola e sala que sua filha caçula, Chloe. Nathan volta sustentando a imagem de pai presente e dedicado, função que Ed, marido de Maddie, abraçou para si assim que escolheu viver com essa incrível mulher de temperamento forte.
Celeste é linda por natureza. Por onde passa não há uma só pessoa não fique vidrada com sua beleza. Casada com um marido rico e mãe dos gêmeos Max e Josh, ela se questiona constantemente se vale a pena continuar "pagando" de família perfeita. Com o tempo, a própria nos ensina que não. Celeste é uma mulher retraída e triste, muito triste. As coisas pelas quais ela passa e as mentiras que inventa para continuar essa farsa que vive a deprimem ainda mais. Para mim foi um pouco complicado aceitar essa submissão dela, não consigo entender como uma pessoa se mantém por tanto tempo na situação dela. Mas, ao mesmo tempo, eu consigo entender que ela se culpa por qualquer coisa, pensa muito nos filhos e, por isso, leva tudo tão adiante assim.

"Todo mundo queria ser rico e bonito, mas os ricos e bonitos de verdade tinham que fingir ser iguaizinhos às pessoas normais."

Jane é introvertida e um tanto tímida. Mãe solteira, ela é nova no bairro e carrega um segredo por trás de sua mudança. Acolhida e abraçada por Madeline logo no primeiro dia de aula de seu filho, Ziggy, ela tem que enfrentar acusações de que seu filho pratica bullying e pais lhe julgando a todo tempo. Porém, Jane não desiste e se mostrar cada vez mais forte conforme a trama se desenrola.

Devo dizer que, a meu ver, Maddie rouba a cena completamente, seja qual for o momento. Eu simplesmente adorei a personagem, e ela ainda me arrancava boas risadas com seu jeito espalhafatoso de resolver as coisas.
Ao final de cada capítulo, temos uma série de depoimentos de outros personagens. Esses, são a nossa única forma de tentar adivinhar quem morreu, quem matou e como aconteceu. E, também são uma espécie de telefone sem fio, pois cada um relata o que acha que aconteceu a sua maneira. Comentários equivocados, inapropriados, mentirosos e até divertidos são a maior parte do conteúdo desses depoimentos.

Queria aproveitar essa parte para falar da Harper, que deu os depoimentos mais "treteiros". Harper é a melhor amiga de Renata, inimiga de Maddie, e uma enorme - desculpem o termo - "cheira cu". Na verdade, Renata e Madeline vivem uma relação de amor e ódio, eu diria. Harper, entretanto, vive por Renata e faz tudo, até jogar sujo, para que sua "amiga" se dê bem. Não me entenda mal, Renata não é uma pessoa ruim. Ela nem mesmo tem ciência das coisas que Harper faz. Ela não sabe que sua BFF é aquele tipo de pessoa que quer ser igual a melhor amiga descolada, ou seja, não há vestígios de personalidade ali, meus lindíssimos leitores. Não sei bem o que é, se é um amor lésbico impossível, carência, ou mau caratismo mesmo... só sei que Renata parece não estar nem aí para Harper, enquanto a mesma move montanhas por essa preciosa amizade. Eu criei uma raiva tão grande dela que a minha vontade era de mergulhar dentro do livro e dar umas sacudidas e uns tapas na cara dessa pessoa!! Rrrrrrr...
Obrigada por lerem esse pequeno desabafo. Voltemos ao livro... São 400 páginas de puro envolvimento. Achei que fosse ficar massante porque pensei que o objetivo principal fosse a morte da pessoa lá. Mas não é isso. Tem história para dar e vender nessas páginas. Esse livro ultrapassou as minhas expectativas de uma forma que eu achei quase impossível não ter algo que me incomodasse. Por fim, cheguei a conclusão de que a única coisa que me incomodou mesmo foi o Ziggy. Sim, achei o menino meio sem graça e bléh! Entretanto, isso não foi motivo suficiente para eu tirar pontos, no caso estrelas.

A autora conseguiu captar bem um lado sombrio, perverso e mentiroso do ser humano adulto. Essas pequenas grandes mentiras que contamos no nosso dia-a-dia para parecermos felizes ou melhores que alguém ou qualquer outra coisa. Além de adicionar uma boa dose de mistério e suspense. Peguei-me várias vezes tentando adivinhar todas as coisas complexas que envolvem essa trama. Confesso que o enredo me fez lembrar diversas vezes da famosa série americana Desperate Housewives. Se não assistiu ainda, pare tudo e vá agora assistir. SÉRIO!!
 
Agressão, morte, bullying, violência doméstica e sexual são apenas alguns dos mais diversos assuntos abordados nesse livro. Tudo isso em doses certas e eficazes, de uma forma sutil e muito bem escrita, provocando choques emocionais dos mais diversos aspectos. Super recomendado!!

"Mas de repente se viu tomada por um desejo apaixonado de contar tudo, dizer a verdade nua e crua, não guardar nada. Foda-se a dignidade."
 
Já leu? O que achou?
Ainda não leu? Pretende? 
Diz aí nos comentários!!

Beijos Literários!!

6 comentários:

  1. \o ADOREI! Estou ansiosa para receber e ler! Resenha sensacional!

    http://harlancobenn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Yara!! Que bom que gostou!!

      Beijos!!

      Excluir
  2. Oi Lena,

    A história parece legal, porém eu não o leria. Não faz meu gênero. rs....
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei, Tati... Haha...

      Obrigada pela visita!! Bjs

      Excluir
  3. Já tinha visto esse livro várias vezes, mas como você, também julguei pela capa rs.
    A história é ótima e fiquei curiosa com tudo que você falou.
    Ótima resenha!

    http://blogquerida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Larissa!! O livro me surpreendeu mesmo!!

      Beijos e obrigada pela visita!!

      Excluir